A mostra De|Generadas discute feminismo em suas diversas vertentes e formas de expressão desde 2015, a partir de uma programação que engloba diferentes linguagens artísticas. Em seu quarto ano, o projeto acontece de 1 a 31 de março, celebrando o mês da mulher, no Sesc Santana.

Em seu quarto ano, De|Generadas traz cinco shows, três bate-papos, duas palestras, duas performances, vídeo-instalação, contação de histórias, oficina, vivência, festa de sound system, circo, dança, e um ciclo de filmes. Destaque para os shows de Mahmundi e da parceria entre Obinrin Trio e a cantora Ekena. Vale ainda conferir o ciclo de filmes e o bate-papo sobre poliamor e feminismo.

Créditos: Divulgação

Poliamor e feminismo são tema de conversa no mês da mulher

Destaque especial ainda para o Feminine Hi Fi, que une mulheres com apresentações regadas ao melhor do reggae. As únicas atrações pagas são os shows de Cida Moreira, com ingressos a R$ 25, e a oficina "Fique Amiga Dela", com R$ 20 de contribuição.

Créditos: Luiz Egidio

Feminine Hi-Fi traz a cultura sound system para o mês da mulher

Confira a programação completa:

Mahmundi | 03/03. Sábado, 19h | Deck do Jardim. Livre. Grátis.

Set mais intimista, pensado especialmente para público feminino da Mahmundi, em que todas as canções abordam temas rotineiros do campo sentimental, que curiosamente são tão semelhantes mesmo entre mulheres tão diferentes entre si.

Cida Moreira | 08/03. Quinta, 20h | Teatro. Não recomendado para menores de 12 anos. Ingressos: R$ 7,50 a R$ 25,00.

Em um show especial para o projeto De|Generadas, Cida Moreira revive o formato "piano-voz" que a lançou em 1981. O repertório traz releituras de canções de artistas nacionais e internacionais com baladas, tangos e blues de Violeta Parra, Mercedes Sosa, Raul Seixas, Tom Waits, Eduardo Dusek, Bob Dylan, Angela Ro Ro, Boris Vian, Patti Smith, Herivelto Martins, Cazuza, Johnny Hooker, entre outras.

Marcelle Barreto E Angela Coltri | 10/03. Sábado, 19h | Deck do Jardim. Livre. Grátis.

As multi-instrumentistas Marcelle Barreto e Angela Coltri apresentam repertório de música instrumental em homenagem às mulheres que se destacaram na história da música brasileira e internacional, passando por nomes como Chiquinha Gonzaga, Lia de Itamaracá, Lea Freire, Aretha Franklin, Ella Fitzgerald, entre outras. O show apresenta arranjos inéditos e foi elaborado a partir de elementos acústicos e eletrônicos.

As Despejadas | 31/03. Sábado, às 19h | Deck do Jardim. Livre. Grátis.

Banda de mulheres que tocam para denunciar injustiças no lugar onde nasceram, um bairro da periferia de Guarulhos, retratando em suas músicas a realidade de pessoas em estado de vulnerabilidade.
Com Lídia Martiniano (voz e cordas), Nataly Ferreira (voz e cordas), Vitória Silva (voz e percussão), Bruna Duarte (contrabaixo), Bruna Black (voz e bateria) e Ariadne Pereira (percussão).

Obinrin Trio + Ekena | 29/03. Quinta, às 20h. Teatro. Livre. Grátis.

Surgida em 2016, o Obirin Trio leva ritmos tradicionais brasileiros e discute em suas composições questões do movimento feminista e negro. Ekena canta canções intimistas e densas, trazendo a tona os relacionamentos interpessoais e a luta incessante em ser mulher em meio a uma sociedade machista.


Festa Feminine Hi-Fi | 24/03. Sábado, 16h às 20h | Deck de entrada. 12anos. Grátis.

Feminine Hi-Fi é um projeto de integração das mulheres no cenário sound system. Com ações coletivas e festas periódicas, sua seleção de discos de vinil vem acompanhada por mensagens empoderadoras no microfone. Superando a ideia de que a cultura dos sistemas de som no Brasil ainda é dominada pelos homens, a festa é um mergulho nas ondas sonoras da música jamaicana sob a ótica feminina.

Esta edição apresenta a MC Shirley Casa Verde e a cantora Marietta Vital amplificadas pelo Ruído Rosa Aparelhagem.


Estupendo Circo di SóLadies | 10/03. Sábado, 14h | Deck de entrada. Livre. Grátis

Após muito tempo trabalhando em diversos teatros e circos, cansadas dos mandos e desmandos dos patrões, duas palhaças decidem criar seu próprio circo e rodar pelo mundo. A adaptação de cenas clássicas do circo tradicional, música, poesia e interação com a plateia compõem as apresentações de "Estupendo Circo di SóLadies", levando o universo feminino em sua trajetória cômica, para crianças, jovens e adultos.

O grupo Circo di SóLadies foi formado em 2013 pelas artistas Kelly Lima, Lilyan Teles, Tatá Oliveira e Verônica Mello a partir de diversas inquietações em relação a desigualdade de gênero e da percepção de que havia ainda um pequeno espaço dado à mulher tratando-se de comicidade e linguagem do palhaço.


So.corro - Se Eu Fosse Você Eu Me Movia | 17/03. Sábado, às 19h

Área de Convivência. Não recomendado para menores de 10. Grátis.
Sensualidade, sexualidade, relações, angústias, dores, alucinações, histeria, estupro, casamento, filhos, violência (...) Dançar como tarefa de produzir imaginário simbólico que diga respeito à nossa gente. Mover para perceber as correntes que nos aprisionam. Trabalho e vida ligados. Dançar é um ato político. Com a Companhia Xingó.

Bordado e Feminismo | 07 a 28/03. Quartas, 15h às 17h | Inscrições na Central de Atendimento. Vagas limitadas. Espaço de Tecnologias e Artes. Acima de 16 anos. Grátis.

O curso pretende tornar as pessoas aptas a executar alguns pontos básicos de bordado livre. A partir da experimentação técnica, pretende-se discutir o processo criativo num formato de roda de discussão sobre o álbum de HQ "Bordados" da quadrinista iraniana Marjane Satrapi. Aspectos da obra como o feminino e o feminismo são enfatizados no desenvolvimento da atividade. Com Priscilla Vicenzo.

Diálogos Presentes: Você quem não viu - Um convite à descolonização

21/03. Quarta, às 20h. Teatro. Livre. Grátis

A palestra é fruto de anos de vivência das relações em torno do fundamento racial. Aliada ao conhecimento adquirido por meio da militância e da cientificidade acadêmica, propõe-se narrativas urgentes de deslocamento epistemológico. É um chamado para alternância. Convite à descolonização. É uma narrativa preta possuída pelas suas orgânicas formas de construção de conhecimento, pelo múltiplo. É um diálogo sobre o sensível que se materializa nas relações de opressão e consequentemente nas de resistência. Sem meias palavras. É papo reto. Política. Com Erica Malunguinho.

Erica Malunguinho é pernambucana, artevista, transativista, pretativista, mobilizadora cultural e deseducadora. É idealizadora e gestora do quilombo urbano Aparelha Luzia, um território de Artes, Culturas e Politicas pretas.

A Carreira de Helena Ignez Revisitada pelo Feminismo | 15/03. Quinta, das 20h às 21h30 |. Teatro. Livre. Grátis.

Uma entrevista/conversa entre a diretora e apresentadora Marina Person e diretora e atriz Helena Ignez, a respeito da carreira de Ignez no cinema desde os anos 60 revista sob o ponto de vista do feminismo. Como questões feministas eram discutidas à época do filme "A Mulher de Todos" (1969), de Rogério Sganzerla? Como era para Helena ser considerada a musa do cinema de invenção daquele período? Como é hoje o olhar dela como diretora quando coloca a sua filha, Djin, como a musa de seus filmes?

Poliamor e Feminismo | 11/03. Domingo, das 16h às 18h. Deck de Entrada. Livre. Grátis.
O Poliamor é um tipo de relação que afirma a não exclusividade afetiva e sexual a partir da consensualidade entre as partes, o encontro busca discutir como as praticantes desse modelo de relacionamento não monogâmico colocam-se contra discriminações sexuais e de gênero presentes em uma sociedade que historicamente inferioriza as mulheres e garante privilégios aos homens. Com Sharlenn Carvalho e Clara Averbuck.

Sharlenn Carvalho, formada em FIlosofia pela UFJF, Pós graduada em Filosofia e Educação pela UGF, professora de filosofia, escritora, consultora poli e organizadora da Pratique Poliamor RJ.

Clara Averbuck é escritora, colunista do jornal Zero Hora e da Revista Fórum. Também é editora do site Lugar de Mulher e autora de seis Livros.

Questões Feministas dentro da Religião | 18/03. Domingo, das 16h às 18h

Área de Convivência. Livre. Grátis.

Enquanto algumas vertentes do feminismo rompem com doutrinas religiosas, algumas mulheres buscam o diálogo e a comunhão entre reflexões feministas e os dogmas religiosos. Como essas questões se dão no dia a dia de uma mulher transexual e pastora? E como essas questões entram em pauta em religiões de matizes africanas?

Com Alexya Salvador, Nega Duda e mediação de Regina Volpato.

Direito Reprodutivo Feminino | 25/03. Domingo, das 16h às 18h. Deck de Entrada. Livre. Grátis.

A Organização das Nações Unidas (ONU) adotou, em 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH). No entanto, apenas em 1994, na Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, no Cairo, que os 184 países que compõe ONU reconheceram os direitos sexuais e reprodutivos como direitos humanos. Estes acordos, por sua vez, são direitos em construção e historicamente construídos e muitas vezes são violados direta ou indiretamente por leis que regem cada constituição. O bate-papo pretende discutir esse tema sob o ponto de vista jurídico, médico e humano. Com Ellen Vieira, Regina Soares Jurkewicz, Sylvie Mutiene Ngkang. Mediação de Cynara Menezes.

Contínuo Político Performático: Narrativas Fundantes | 06 e 20/03. Terças, às 19h

Área de Convivência. Livre. Grátis

Um contínuo de falas poético-políticas. Uma palestra formativa interventiva, entoada pelo mantra sagrado dos batuques afrodiaspóricos. Um manifesto transpreta feminista executado pelo corpo existência de Erica Malunguinho acompanhada do artista visual e músico baiano Julio César Ribeiro.

Erica Malunguinho é pernambucana, artevista, transativista, pretativista, mobilizadora cultural e deseducadora. É idealizadora e gestora do quilombo urbano Aparelha Luzia, um território de Artes, Culturas e Politicas pretas.

Tricotando Corpos Oníricos |13 e 27/03. Terças, às 19h | Área de Convivência.

Não recomendado para menores de 12. Grátis.

A performance explora de maneira sutil e delicada a vulnerabilidade dos corpos femininos pelo viés do trabalho manual e/ou tecelão. O trabalho pretende tocar questões sociais econômicas que vão do relegar a mulher aos trabalhos manuais e a invisibilização trabalho feminino no contexto do heterocapitalismo. Com coletivo PG.

O Coletivo PG (coletivo de Arte-multimídia, filosofia, technologia e política voltado para estudos da pornografia) é formado por Sue Nhamandu, professora de filosofia por mais de 13 anos, performer e ativista transfeminista pró-sexo e Rita Wu, designer e artista, atualmente trabalha com biologia sintética e biohacking, explorando a relação entre corpo, espaço e tecnologia.

Mulheres Possíveis | 17/03 a 01/07. Todos os dias, 24h

Fachada do Sesc Santana. Livre. Grátis.
Um mural de silhuetas preenchidas com narrativas poéticas pessoais sobre ser mulher e estar em situação de cárcere. Através de laboratórios sob enfoque dos eixos corpo gênero e encarceramento, realizados por artistas dos coletivos Dodecafônico e Rubro Obsceno, reeducandas da Penitenciária Feminina da Capital criaram as imagens e narrativas poéticas que ocupam a fachada do Sesc Santana.

Precisamos Falar do Assédio | 01 a 31/03. Terça a sábado, das 13h às 21h. Domingos, das 10h às 18h. Área de Convivência. Não recomendado para menores de 14. Grátis.
Vídeo-instalação que exibe ininterruptamente as oito horas de material bruto que deram origem ao documentário Precisamos Falar do Assédio , dirigido por Paula Sacchetta.
Rodado na semana da mulher, uma van-estúdio parou em nove locais em São Paulo e no Rio de Janeiro. O objetivo era coletar depoimentos de mulheres vítimas de qualquer tipo de assédio. Ao todo, 140 decidiram falar. São relatos de mulheres de 14 a 85 anos, de zonas nobres ou periferias das duas cidades, com diferenças e semelhanças na violência que acontece todos os dias e pode se dar dentro de casa, em um beco escuro ou no meio da rua, à luz do dia.

Cineclube das Outras | 06/03 a 24/04. Terças, às 20h. Teatro. 14 anos. Grátis

O Cineclube das Outras, criado por um grupo de mulheres de diferentes gerações e atuações, nasce do desejo de criar um espaço coletivo de exibição e debate de filmes de e sobre mulheres, com foco em Outras narrativas, narrativas das Outras: mulheres negras, brancas, indígenas, LGBTs, migrantes.

06/03 – Tema: Libertas
Sem Você a Vida é uma Aventura Dir.: Alice Andrade Drummond. Ficção, 2015, 19'

Gorda Dir.: Luiza Junqueira. Documentário, 2015, 15'
Pele de Pássaro Dir.: Clara Peltier. Documentário, 2015, 15'
Peripatético Dir.: Jéssica Queiroz. Ficção, 2017, 15'
Após as exibições haverá debate com Jéssica Queiroz, Alice Andrade Drummond, Luiza Junqueira e Clara Peltier . Mediação de Lívia Perez .

13/03 – Tema: Direito de Decidir
Aborto não é Crime Dir.: Rita Moreira. Documentário, 1991, 16'
A Passagem do Cometa Dir.: Juliana Rojas. Ficção, 2017, 19'
CEP 05300 Dir.: Adria Meira, Lygia Pereira, Camila Santana. Híbrido, 2016, 21'
Clandestinas Dir.: Fádhia Salomão. Documentário, 2014, 24'

Após as exibições haverá debate com Lygia Pereira, Juliana Rojas e Rita Moreira . Mediação de Lívia Almendary .

20/03 – Tema: Prostitutas

Mulheres da Boca Dir.: Cida Aidar, Inês Castilho. Documentário/Ficção, 1981, 22'
69 - Praça da Luz Dir.: Carolina Markowicz, Joana Galvão. Documentário, 2007, 15'
Maria Dir.: Carol Correia. Ficção, 2016, 14'
Mercadoria Dir.: Carla Villa-Lobos. Documentário, 2017, 15'
Após as exibições haverá debate com Inês Castilho, Carolina Markowicz, Carol Correia e Carla Villa-Lobos . Mediação de Beth Sá Freire .

27/03 – Tema: Memórias

Fotográfica Dir.: Tila Chitunda. Documentário, 2016, 25'
Kbela Dir.: Yasmin Thayná. Ficção/Experimental, 2016, 22'
Abigail Dir.: Valentina Homem, Isabel Penoni. Documentário, 2016, 16'

Torre Dir.: Nádia Mangolini. Documentário, 2017, 18'

Após as exibições haverá debate com Tila Chitunda, Valentina Homem, Yasmin Thayná e Nádia Magolini . Mediação de Inês Castilho .

OFICINA

Fique Amiga Dela | 10/03. Sábado, das 13h às 17h. Sala de Múltiplo Uso III.

Não recomendado para menores de 18. Vagas limitadas . Inscrições na Central de Atendimento. De R$ 10,00 a R$ 20,00.

Voltada para mulheres, a oficina busca promover o auto cuidado a partir do conhecimentos da anatomia, fisiologia, funcionamento do corpo, colocando a mulher o sujeito da ação de saúde, capaz de entender, decidir e cuidar do próprio corpo. Com Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde.

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

Florescendo Histórias | 10/03. Sábado, às 12h30. Deck do Jardim. Livre. Grátis

Contações de histórias sobre mulheres artistas como Frida Kahlo e Clarice Lispector. Ao longo da atividade as crianças são convidadas a intervir nas narrativas e participar do processo de construção das histórias. Alguns objetos e livros também são usados para suscitar reflexões pertinentes à identidade de gênero e sobre a posição social da mulher. Com Mônica Ramos.

Sobre o projeto

A palavra degenerada possui em seu significado a essência do projeto que nomeia: as características das mulheres exigidas pela sociedade foram modificadas – degeneradas – por aquelas que acreditam serem donas de si.

Assim, questionamos: ainda se faz necessário discutir os diretos da mulher? Com quais modelos construímos nossas identidades? De que modo esses temas se ligam à recente produção cultural? Para pensar essas questões e endossar a discussão sobre o dia 8 março – Dia Internacional para os Direitos da Mulher – o Sesc Santana propõe o projeto De|generadas, uma série programática que pretende se debruçar sobre os pensamentos que envolvem a luta por igualdade de gêneros.

A proposta engloba diversas áreas e linguagens: ciclo de conversas, mostra de performances, apresentações de dança, cinema ligados ao tema. O conjunto das atividades oferece ao público um mosaico abrangente da práticas que atravessam o ativismo feminista, concebendo a subversiva e revolucionária ideia de que a mulher pertence a si mesma, a seu próprio corpo e seus pensamentos.

VilaMundo é uma iniciativa do Instituto Acqua em parceria com o Catraca Livre e a Cuponeria. Para saber mais dicas lindas como essa, acesse nosso site!

Veja também:

De Elza a Elba, Mês da Mulher tem shows de tirar o fôlego

De|generadas 4.0

01 Mar
a
31 Mar

Diariamente de 1 (Qui) a 31/03 (Sáb) das 08:00 às 23:00 

Sesc Santana
Avenida Luiz Dumont Villares, 579 Jardim São Paulo(Zona Norte) São Paulo - SP (11) 2971-8700
Catraca Livre

Sobre nós

O VilaMundo é uma iniciativa do Instituto Acqua, em parceria com o Catraca Livre e a Cuponeria.