Vai começar a 10° Edição do Circuito Sesc de Artes. De 6 a 22 de abril, o Sesc São Paulo promove o evento que circula por 120 cidades do interior, litoral, São Paulo e Grande ABC. Sempre com entrada grátis e livre para todos os públicos.

A ideia é levar aos municípios que não têm unidades da instituição em seu território atividades de artes visuais, circo, cinema, dança, música, teatro, literatura, tecnologias e artes.

A décima edição do Circuito envolve 110 trabalhos artísticos com cerca de 400 artistas em mais de 1000 ações, totalizando 600 horas de programação que acontece de sexta a domingo, das 16h às 21h30, ao longo de abril.

Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc SP, enfatiza que "realizar o Circuito Sesc de Artes em praças públicas, com acesso amplo e gratuito, colabora no fortalecimento das relações e das parcerias institucionais que se estabelecem localmente, pois assim mobiliza-se a comunidade em torno de atividades cujo caráter simbólico o Sesc entende como um direito fundamental de todos".

Toda a programação acontece das 16h às 21h30, e não possui ordem ou sequência pré-definida para a realização das ativides.

Confira a agenda do Grande ABC:

Diadema, dia 13/4, sexta-feira, na Praça Lauro Michels: Rua Amélia Eugênia com Av. Antonio Piranga , Centro

  • Il Grande Circo, com Circo Puntino (Itália).
    Gregório é o galã e Katyusha é a estrela neste espetáculo italiano com toques poéticos e cômicos. Os artistas usam a roda alemã e a girafa, um tipo de monociclo, em números de dança acrobacias, malabarismo, manipulações e equilibrismo. O Circo Puntino foi criado em 2010 com base nas escolas europeias tradicionais, com um olhar contemporâneo para o circo de rua e o circo-teatro.
  • Arrastão, com Cia. Etra de Dança Contemporânea (SP).
    A partir de um trabalho de pesquisa sobre o corpo, seus fluxos de movimento individuais e coletivos, sob o comando de Edvan Monteiro, o grupo paulista apresenta essa intervenção interativa em que as ações dos bailarinos ocupam todo o espaço com liberdade. Mesmo quando se agrupam, se repelem, se empurram ou se arrastam, os corpos não deixam de demonstrar sua resistência e sua individualidade.
  • Six Rockstrings (SP)
    Seis músicos profissionais eruditos se uniram em nome do rock’n’roll e formaram uma banda com dois violinos, duas violas e dois violoncelos. Juntos desde 2012, o sexteto de cordas vem pesquisando sonoridades e desenvolve efeitos musicais como uma banda de rock de instrumentos tradicionais. No repertório, estão músicas de Deep Purple, Led Zeppelin, Nirvana e AC/DC.
  • CinePiano. com Tony Berchmans (SP)
    Como acontecia no início do século XX, o compositor e pianista Tony Berchmans acompanha a exibição de clássicos do cinema mudo enquanto executa a trilha musical. Porém em “CinePiano”, ao invés das músicas originais, ele improvisa ao vivo, com temas de sua autoria, trechos de música clássica ou folclórica, sempre em sincronia com os filmes e criando um novo jeito para ajudar a narrar cada história.
  • Poemas Passageiros, com Zebra5
    Palavras em grandes proporções são dispostas no chão para compor textos poéticos. Neste jogo-poema, o público é convidado a rearranjar as palavras da forma que quiser, para desconstruir os textos originais e, em seguida, exercitar sua criatividade para formar seus novos poemas.
  • Palavra + Imagem, com Cia. Alcina da Palavra (SP).
    Com um acervo variado de livros ilustrados, mediadores convidam o público para leituras individuais e/ou compartilhadas.
  • Curtas de Animação da Pixar
    Exibição de uma seleção dos curtas-metragens de animação criados pelo estúdio Pixar, responsável por grandes sucessos do cinema e atualmente parte da Walt Disney Pictures.
  • Arte de Rua em Lambe-lambe, com Discordia, Roni Evangeli e Alberto Pereira (SP).
    Os artistas Pedro Caboatan, Roni Evangelista e Alberto Pereira vão apresentar o universo do lambe-lambe, uma técnica de arte de rua que utiliza o papel colado em muros, postes e outros locais como sua principal expressão. Os participantes da atividade são convidados a conhecer e produzir três técnicas distintas, com lambe-lambe feito à mão, com estêncil e de forma digital.

Mauá e São Caetano do Sul- As atividades abaixo acontecem em:

Mauá, dia 20/4, sábado, na Praça 22 de novembro:  Av. Barão de Mauá, s/n – Centro

São Caetano do Sul, 22/4, domingo, na Av. Presidente Kennedy (Rua de Lazer)-altura do nº 2400, B. Santa Paula

  • Tradicional Pocket Show, com Circo Le Chapeau (MS)
    O público é levado para o picadeiro e aos bastidores de um circo tradicional, para presenciar a correria antes dos espetáculos, as trocas de figurinos, a preparação para a entrada em cena e a até mesmo a versatilidade dos artistas que fazem seu número e também vendem pipoca. Mesmo sem lona, o grupo sul-mato-grossense promove uma experiência parecida com a dos circos que viajavam pelo interior do Brasil.
  • Iniciação ao Malabarismo, com Circo Le Chapeau (MS)
    O grupo promove uma oficina de malabarismo, em que não há limite de idade ou habilidade para experimentar. Com as atividades, os participantes praticam exercícios de lateralidade e concentração, com algumas técnicas para desenvolver a manipulação, lançamento e recepção de objetos.
  • Fandango a Céu Aberto, com Cia. Oito Nova Dança (SP).
    O espetáculo oferece um olhar contemporâneo para uma manifestação cultural tradicional do Brasil: o fandango caiçara, do litoral sul de São Paulo e litoral norte do Paraná. Para preservar essa tradição, a companhia reúne aspectos essenciais do fandango original, como o bailado, o batido e a noção de mutirão e celebração coletiva, convidando o público para dançar em um grande baile aberto.
  • Fanfarra Black Clube (RJ).
    O coletivo carioca combina a animação dos blocos de rua com o balanço do funk, da black music e da música das discotecas. O repertório vai de clássicos nacionais e internacionais dos anos 1970, como Bee Gees, The Jackson 5 e Tim Maia, até hits mais atuais, como músicas de Pharrell e Daft Punk, além de músicas autorais, sempre com uma pegada dançante e carnavalesca.
  • DJ Barata (SP)
    O baiano Lucas Barata é DJ, produtor cultural e pesquisador musical desde 2001. Seu repertório passeia pela música popular brasileira, com foco na produção dos anos 1960 e 70: o samba, a tropicália, a bossa nova, o latin jazz, o soul, o funk e o afrobeat. Mais do que uma seleção de músicas, suas discotecagens propõem uma paisagem sonora para contextos urbanos e brasileiros.
  • Plante Poema, com Projeto Matilha e Roça da Rua (SP)
    Sentado em frente a um dispositivo de palavras-chaves, cada participante é convidado a fazer uma troca: escolher uma palavra para deixar e outra para levar, seja a partir dos termos à disposição ou de livre escolha, a partir das suas sensações no momento. Ao final, cada participante ganha uma muda, um ramo ou semente e uma indicação poética.
  • Tricô de Braço e Tear Alternativo, com Cris Bertolucci, Tainá Denardi e Sarah Lopes (SP).
    As técnicas de tecimento livre são aquelas em que não é preciso nenhuma ferramenta para o entrelaçamento dos fios e a criação de tecidos. A confecção é feita com as mãos e dedos, construindo inúmeros tipos de nós. Na oficina é explorado o tricô de braço para a criação da trama básica do tricô. Com a técnica é possível obter tecidos utilizados tanto na criação de vestuário como no design de interiores.
  • Curtas de Animação da Pixar
    Exibição de uma seleção dos curtas-metragens de animação criados pelo estúdio Pixar, responsável por grandes sucessos do cinema e atualmente parte da Walt Disney Pictures.

Ribeirão Pires, dia 13/04, sexta-feira, na Praça Villa do Doce: Rua Boa Vista, Centro

  • Caramba, Carimbo!, com Editora Lote 42 (SP).
    Sem restrições de idade, o público é convidado a montar um livro manualmente e usar a criatividade para construir o seu conteúdo a partir de uma ampla seleção de carimbos com padrões, texturas, figuras geométricas e trechos da literatura brasileira selecionados para a atividade.
  • Redaria, com Ju Bernardo (SP).
    A instalação é formada por redes em macramê criadas pela artista, pernambucana criada no Grajaú, zona sul de São Paulo. O público é convidado a brincar e interagir com a construção das redes de fios coloridos. Cada novo fio e cada novo nó que vai ser apertado ou afrouxado vão formar um novo resultado nessa escultura de rede, que depende da criatividade de cada participante.
  • Biblioteca na Praça, com Muda Práticas Culturais e Educativas (SP).
    O espaço que recebe o Circuito Sesc de Artes também ganha uma biblioteca ao ar livre, com bancos e almofadas, além de uma seleção de livros especialmente escolhidos. O público poderá, inclusive, fazer a troca de livros e levar um exemplar para casa, desde que deixe outro nas estantes.
  • Realidade Virtual, em parceria com a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.
    Com cinco filmes, o público é convidado a experimentar essa tecnologia imersiva que abre possibilidades de novas formas de contar histórias. Neste formato o espectador é o protagonista da ação, construindo seu ponto de vista sobre o filme.
  • Festim, com Cia. Soma (SP).
    A Cia. Soma faz uma mistura de danças brasileiras tradicionais, como o frevo, a caboclinha e a capoeira, com referências mais contemporâneas. O resultado é um espetáculo com coreografias bem-humoradas e festivas, baseadas na pesquisa de manifestações populares que as bailarinas Maria Eugenia e Marina Abib realizam desde 2008. As tradições estão presentes nos figurinos, nas máscaras e na trilha de “Festim”.
  • Uma Irremediável Escolha, com Grupo Desembargadores do Furgão (SP)
    Nesta comédia de rua, o grupo paulista Desembargadores do Furgão mistura elementos populares brasileiros com máscaras e a música de Bali (Indonésia) para contar a história de um grande engano cometido por uma trupe de artistas. Os atores fazem um jogo com acrobacias, mágica e elementos do Topeng, uma dança balinesa que utiliza as máscaras como parte essencial do teatro.
  • O Cubo na Roda, Dupla GomesNinow (RJ)
    Acompanhados por seu mico-leão azulado de pelúcia, Senhorita Ninow e Mister Gomes fazem um show de equilíbrio, manipulação de formas e muita comédia. Enquanto ele mostra sua habilidade com um cubo de alumínio, ela convida a plateia para participar ativamente do espetáculo, que muda a cada apresentação dependendo da interação do público e do local onde o picadeiro é armado.
  • Trio Sinhá Flor (SP)
    Inspiradas pela música do Nordeste, as musicistas paulistas Carolina Bahiense, Cimara Fro´is e Talita del Collado vem marcando seu nome no universo do forró, quase sempre dominado pelos homens. O Trio Sinhá Flor comemora dez anos com foco nos arranjos vocais das três integrantes, em um repertório dançante que vai de Luiz Gonzaga a releituras de Caetano Veloso e Gilberto Gil.

Rio Grande da Serra, dia 22/4, domingo, no Parque dos Ipês: Av. Santa Teresa

  • Kinematos, com manoAmano (ARG)- Um rapaz entediado e uma moça excêntrica desenvolvem um jogo de cena que parte de técnicas circenses aparentemente simples e vai até números muito exigentes, sempre com muita interação com o público. A companhia argentina usa o humor junto com malabarismo, acrobacia, equilibrismo e outras habilidades do circo contemporâneo em uma linguagem urbana e atual.
  • Cada Qual no Seu Barril, com Cia. da Revista (SP)
    Influenciado pela linguagem de personagens dos desenhos animados e do cinema mudo, o espetáculo da companhia paulistana é todo construído em dramaturgia corporal, sem qualquer texto falado. Livremente inspirado no livro de Ruth Rocha “Dois Idiotas Sentados Cada Qual no seu Barril”, o grupo utiliza técnicas de palhaço, dança e mímica dramática para interagir e divertir a plateia.
  • Mané Boneco, com Grupo Zumb.boys (SP)
    A companhia de dança se inspirou nos bonecos conhecidos como Mané Gostoso, muito presentes em feiras do Nordeste, feitos com madeira e com pernas e braços articulados com cordões. Assim, o corpo dos intérpretes ganha movimentos como se fossem articulados por corda e que são facilmente reconhecidos pelo público, que também é convidado a entrar na brincadeira e participar da dança.
  • Emblues Beer Band (SP)
    O grupo de Embu das Artes une a formação das tradicionais bandas de rua de Nova Orleans (EUA) com instrumentos não convencionais e a influência do jazz, blues, folk e da música regional brasileira. A banda é formada por Fa´bio Ve´io (trompete), Marcel Moreno (voz e viola~o), Juan Jarandilha (voz e ukulele), Ivan Valle (contrabaixo) e Rafael Massi (washboard).
  • Bruxinhas de Pano, com Glória Viana (SP)
    Oficina para construção e customização de bonecos/as de pano, também conhecidas como bruxinhas, especialmente no Nordeste. A arte-educadora Glória Viana orienta o público na construção e customização das peças com canetinhas, cola, bordados e amarrações.
  • Palavra + Imagem, com Instituto Clio (SP)
    Com um acervo variado de livros ilustrados, mediadores convidam o público para leituras individuais e/ou compartilhadas.
  • Curtas de Animação da Pixar
    Exibição de uma seleção dos curtas-metragens de animação criados pelo estúdio Pixar, responsável por grandes sucessos do cinema e atualmente parte da Walt Disney Pictures.

Quer ficar por dentro das atividades culturais e cursos gratuitos ou baratinhos no ABC Paulista? Então siga o Vila Mundo no Facebook.

465 anos de Santo André: programação variada ao longo de abril

Sobre nós

O VilaMundo é uma iniciativa do Instituto Acqua, em parceria com o Catraca Livre e a Cuponeria.